3 doenças causadas pela má esterilização de instrumentos odontológicos

0
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×

má esterilização de instrumentos odontológicos

má esterilização de instrumentos odontológicos

A esterilização dos instrumentos odontológicos é essencial para o andamento das atividades em consultórios, clínicas e ambientes hospitalares.  É uma segurança tanto para a equipe da Odontologia quanto para os pacientes, já que o processo de esterilização elimina as bactérias e vírus que podem estar nos instrumentos após sua utilização.

Já citamos que por estarem em contato direto com saliva, secreções e sangue, os instrumentos odontológicos podem atuar como veículos de microrganismos causadores de diversas doenças. Algumas delas podem ser evitadas com vacinas, mas outras não contam com este recurso e podem ser transmitidas em ambientes destinados à promoção da saúde.

Pode parecer um contrassenso adquirir doenças em ambientes que se propõe a curá-las, mas caso haja uma má esterilização de instrumentos odontológicos isso pode acontecer sim. Por isso a higienização e esterilização correta e frequente destes equipamentos são primordiais.

A seguir vamos citar algumas das doenças que podem ser causadas pela má esterilização de instrumentos odontológicos:

DST’s podem ser transmitidas em consultórios odontológicos pela má esterilização de instrumentos odontológicos

Doenças sexualmente transmissíveis como sífilis e gonorreia podem ser causadas pela má esterilização de instrumentos odontológicos. Isso porque ambas as doenças podem apresentar sintomas, como feridas, na cavidade bucal.

Um paciente que já tiver contraído a doença e contar com estas lesões bucais pode transmitir-la caso não haja os procedimentos corretos pós consulta quanto a biossegurança. Por não contar com características próprias, estas lesões podem ser confundidas pelos cirurgiões dentistas, que pode não diagnosticar estas doenças.

Além da sífilis e da gonorreia, o HIV também pode ser transmitido pela má esterilização de instrumentos odontológicos. A AIDS pode ser transmitida pelo contato com o sangue e secreções, pela chamada via parenteral.

Hepatite B pode ser causada pela má esterilização de instrumentos odontológicos

O vírus considerado o de maior risco na Odontologia é o da Hepatite B. A Hepatite B também é considerada como DST. A má esterilização de instrumentos odontológicos pode ser um veículo de contaminação.

A maioria dos casos de Hepatite B não apresenta sintomas. Mas enjoos, olhos amarelados, fezes com coloração mais clara, cansaço, febre e dor abdominal, podem aparecer. Os profissionais da saúde de maneira geral, bem como a população, podem se prevenir ao tomar a vacina. Três doses são necessárias para a prevenção. Ela é disponibilizada pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Outros tipos de Hepatite, como as C e D, também podem ser causadas pela má esterilização de equipamentos odontológicos.

Herpes pode ser contraída pela equipe odontológica e pacientes

Infecção viral comum entre a população brasileira, a herpes é mais uma das doenças que pode ser transmitida pela má esterilização de instrumentos odontológicos. O mais comum é a transmissão pelo contato direto, mas os objetos também podem ser os transmissores.

Na odontologia, os equipamentos entram em contato direto com a infecção viral, já que as lesões também aparecem nos lábios e no interior da boca. Alguns manuais de biossegurança na Odontologia indicam que os tratamentos devem ser adiados quando há lesões ocasionadas pelo vírus da herpes.

Isto porque o vírus da herpes apresenta uma sobrevida ao sair de seu local de origem. Ele pode contaminar após duas horas na pele, quatro horas em superfícies plásticas, até três horas em tecido e até 72 horas em gaze seca.

A esterilização de toda a paramentação é imprescindível quando falamos de estabelecimentos que visam à promoção da saúde humana. A má esterilização de instrumentos odontológicos pode significar perigo para toda a equipe e para os pacientes que serão atendidos.

A prevenção é a melhor escolha. Acesse o nosso blog e verifique como os profissionais podem se proteger além de garantir a esterilização de seus equipamentos.ceiaico_imagem_blog

Comentários no Facebook

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×